Porque ter um Trailer?

Alto Paraiso
Araranguá
Aruanã
Atibaia
Bombas
Bombinhas
Brasília
Caldas Novas
Campos do Jordão
Estaleirinho
Florianópolis
Garopaba
Goiânia
Guarda do Embaú
Guaratuba
Itu
Ouro Preto
Pirenópolis
Rio Araguaia
Roma  
Salvador
São J.Del Rey
São Lorenço
Ubatuba/Parati
Sites de Campings

Amigos colaboradores
Vídeos
Sanitário  
Sky no camping

Argentina
Chile
Europa 
Inglaterra 
Itália 
Suíça & França
Uruguai
Viagem Uruguai/Argentina
Super Dicas Cone Sul
Viajando pelo mundo.
Amigos
Aventura
Camping Modelo-Fotos
Campismo desenvolvido
Governo e o Campismo
Hots Links
Manutenção & Dicas
Perguntas & Respostas
Rebocando 
Tacógrafo
Sabedoria
Alimentação Saudável


         



            [ 417862 ]


Receptividade:
Acredito que seja mito ou coisa acidental, ser tratado mal nestes países. Tivemos contato com dezenas de pessoas, e a maioria foram atenciosas, é como se estivéssemos nas regiões mais desenvolvidas do Brasil.

As estradas:
Tanto no Uruguai como na Argentina, o pedágio é muito menos caro, que no Brasil. As estradas são incomparavelmente melhores. E não são superlotadas como as nossas. É revoltante, sem comentários....

Buenos Aires:
Pelo tamanho,tenho que comparar Buenos Aires com São Paulo ou Rio. Maiores informações, na página sobre a Argentina neste site, mas para ilustrar a diferença de educaçao. Pense no gigantismo do trânsito de cidades deste porte, e em Buenos Aires, não foi uma nem duas vezes, que eu com minha família esperando na calçada para atravessar, e como brasileiros sempre apressados pisávamos no alfalto, e passávamos o vexame de algum motorista parar o veículo e o tránsito para nós passarmos.
O ponto negatívo é que os motoristas argentinos, mudam de faixa o tempo todo.
Táxi: Em Buenos Aires, os taxis ficam circulando, é muito fácil conseguir um taxi, na realidade compensa ir na maioria dos lugares de taxi, ao invés de dirigir. E o serviço estava mais barato que no Brasil.

Polícia nas estradas:
No Uruguai nota-se claramente que os policiais estão informados da importância da atividade turística, e eu só ví ter problemas o pessoal de um automóvel brasileiro que tinham feito uma ultrapassagem em local proibido.

Na Argentina, somos mais parados, mas a regra é pedir os documentos, estando tudo certo, normalmente somos muito rapidamente liberados.
Mas aquí como lá, infelizmente, ás vezes encontramos policiais que querem e geralmente conseguem nós extorquir.

No Chile, todos viajantes que tem experiência dizem que não existe corrupção, mas são bastantes rigorosos na aplicação da lei.

Carta verde:
Onde fazer ? Na maioria da agências bancarias, e escritórios de seguradoras.
Atenção: Ao tentar fazer não apresente seu veículo como motorhome, simplesmente diga a marca e desiguinação do veículo. Se o atendente começar a complicar diga que é um micro-ônibus ou ônibus particular. Mantenha-se firme!
Se você pronunciar a palavra motorhome, vai dar um nó na cabeça do atendente e você não conseguirá fazer o tal seguro.

PID - Permissão internacional para dirigir.
Na maiorias dos estados tem que procurar os Detrans, para tirar, dizem alguns que o Touring Club também emite este documento.

Língua:
Mesmo se você não é iniciado em espanhol, mas não é tímido, e tem facilidade com linguas terá certa facilidade para quase tudo, menos para se alimentar.

Alimentação:
Talvez você já saiba, mas poucos países colocam tanto sal nos alimentos como nós, então nos primeiros dias será meio estranho, ter a impressão que esqueceram de colocar sal na comida.
Muitos alimentos tem nomes diferentes dos nossos, e como um garçom que tem que atender um monte de mesas, poderá te explicar como se chama frango, beterraba, alface etc, se ele também não souber como se fala isto em português !

Segurança:
Uruguai, os problemas de segurança são infinitamente menores que os nossos, um monte de casas sem muros, um monte de famílias que simplesmente param para fazer picnics à beira das rodovias.
Argentina,Buenos Aires, sem dúvida é menos violenta que as grandes cidades brasileiras, mas tem que ter malícia, casos de assalto com baixa violência ou furtos são relativamente comuns.

Fronteiras:
Antes de sair do Brasil é muito importante declarar na aduana brasileira,os equipamentos importados que você estiver levando consigo, não é preciso estar com a nota fiscal de compra.
A entrada no Uruguai ou Argentina não envolve muita burocracia, mas para o Chile é normal tomar umas 2 horas.
Para todas fronteiras, qualquer alimento fresco dificilmente passa, eles abrem geladeiras etc, portanto programe seu consumo.
Pare se ter uma idéia até umas flores de campo foram requisitadas.
Fronteira, Uruguai-Argentina:
Colônia del Sacramento:
Esta cidade simpática, é o principal ponto de partida do "Buquebus" que na realidade tem serviços em Punta e Motevideo também.
São barcos modernos que fazem o transporte de pessoas e veículos, incluindo trailers e motorhomes pelo rio de la plata,ligando a Argentina e Uruguai.Não deixe para comprar o bilhete no dia da viagem, faça com um ou dois dias de atecedência.
E interessante que aqui talvez por força da empresa, não existe a burro-cracia latina, quando você da a saida nos papeis de um pais automaticamente já recebe a entrada no outro.
Existem 03 pontes que ligam os dois paises, Fray Bentos, Colón-Paysandú e Concordia-Salto, nesta época 2006/07 manifestantes argentinos fechavam por dias algumas destas pontes, com a conivência do governo argentino.

Impressão geral:
Embora sejam paises periféricos como o nosso, e com renda per capita média, socialmente tem uma situação melhor que de nosso país. Tendo como resultado cidades menos tumultuadas, mais limpas e menos violentas que as nossas.
Na grande Buenos Aires, que é uma cidade com quase 9 milhões de habitantes, as regiões que você vai circular, são muitos limpas e bonitas, dizem que é muito parecido com certos locais da Europa, você só vê regiões realmente pobres bem ao sul da cidade, do centro para o norte, varia da dignidade da classe média a opulência dos ricos.
Uruguai, tanto nas grandes cidades quanto nas pequenas do interior mesmo sem a força do turísmo, percebe-se menos situações de pobreza que em nosso país.
E Punta del Leste é um caso a parte, a impressão, e que os ricos de vários paises elegeram aquela cidade para veraneio, talvez até em virtude de se poder ir a qualquer lugar sem grandes preocupações.

Regras de trânsito,que são diferentes das nossas:

Para todos:
Carta Verde. Atenção (2009), não caia na conversa do seu corretor que fala que o seguro comum, com cláusula, de estendido para o Mercosul, resolve.(jogou dinheiro fora)
Não resolve, sem Carta Verde é problema certo, é lei.
E ainda por cima.
A Carta Verde somente pode ser feita no país de origem !
Eu vi argentinos em Chuí-RS, não serem permitidos entrar com os carros no Brasil.
E se quisessem conseguir, teriam que cruzar o Uruguai de volta.Para fazer a Carta Verde na Argentina.
Tem que colocar 02 Triângulos.
Tem que trafegar nas rodovias com o farol baixo ligado.
Documentos:
Carteira de identidade, que a foto esteja atual o suficiente para a fácil identificação visual.
CNH, não é preciso a permissão internacional para Argentina e Uruguai, mas para o Chile é preciso. E ainda tem que levar o R.G.
O documento do carro tem que estar no nome do condutor.Dizem que é possível ir também com uma autorização com todos os dados do veículo e do proprietário, feita em cartório.
No Chile tem uma isenção de 19% em impostos nos hotéis, mas que só é possível obter com apresentação de passaporte.
Se o licenciamento estiver muito próximo do vencimento, pode haver problemas, pois o sistema deles é por ano redondo.

Motorhome, micro ou um ônibus.
Tem que ter uma lanterna lateral,próximo a traseira do lado do motorista, na cor Azul ou Verde Azulado.
Colocar um adesivo atrás mostrando a velocidade máxima ?
Há dúvidas se existe esta regra, mas recentemente policiais na Argentina, tentaram multar baseado nisto, mas no final voltaram atrás e não multaram, talvez como alguns daqui, estavam tentando extorquir os viajantes.

Argentina:
Levar junto ao carro, um cabo de aço de mais ou menos dois metros e meio, um lado laço outro lado gancho, para rebocar carro avariado.
Montar um estojo de pequenos socorros.
Também pode-se ter problemas com certos modelos de reboques fixos no para-choque traseiro.
Se tiver farol auxiliar, tem que ser amarelos. Ou então tampeos, ou como fazem alguns, colocam um plástico amarelo.
Os argentinos tem um péssimo hábito, combatido pelo governo, de ultrapassar pelo acostamento, cuidado, principalmente em estradas muito no interior do país.

Estradas entre Argentina e o Chile.
No inverno, havendo neve, e dependendo do trecho, os policiais podem exigir.
Correntes para por nos pneus, alguns dizem que podem exigir também, dois estepes a invés de um. No Chile em alguns trechos existe até serviço de aluguel de correntes.

Cabo de Aço
Muitas pessoas escrevem pedindo informação sobre como fazer o cabo, agora temos as fotos do mesmo, aqui.


Compre um Cabo de Aço plastificado com 2,7 metros, 2 presilhas e um Gancho.


Detalhe da presilha.


Veja a proporção do material em relação a caneta, o Gancho tem 10 centimetros.